Doenças mais comuns no inverno

No inverno, à medida que a umidade do ar cai e o frio se torna constante, partículas de poeira, poluição e contato com germes, devido à permanência em locais fechados, acabam sobrecarregando o organismo e facilitando o aparecimento de diversas doenças, principalmente respiratórias.

Todos nós ficamos mais vulneráveis a estas condições, porém crianças e idosos por terem o sistema imunológico mais fragilizado, sofrem mais com o clima frio. Mas, vale lembrar que o período de maior proliferação dos micro-organismos pode variar de região para região do Brasil.

No Sul e Sudeste, por exemplo, os meses mais frios normalmente são: maio, junho, julho, setembro e outubro, enquanto no Norte e Nordeste o período entre abril e junho marca as chuvas e a queda das temperaturas.

Para você saber mais sobre o assunto, separamos neste ARTIGO as doenças mais comuns que surgem no inverno e dicas de como preveni-las. Confira:

Resfriado e Gripes

As gripes são infecções das vias respiratórias causadas por vírus do tipo Influenza. Seus principais sintomas são: febre de aproximadamente 37,8ºC, secreção nasal, coriza, dor de garganta e dor nos músculos e articulações, que dura cerca de cinco a sete dias.

Já o resfriado, é similar à gripe e é considerado o mesmo tipo de infecção, porém ocasionado por vírus diferentes (adenovírus, rinovírus e vírus sincicial respiratório). Os sintomas costumam ser mais brandos e duram em média de três a cinco dias. O resfriado é caracterizado pelos seguintes sinais: coriza, espirros, dor de garganta e, às vezes, conjuntivite.

Otite

Com certeza você já deve ter ouvido falar na famosa “dor de ouvido”, que afeta principalmente bebês. Chamada de Otite, esta infecção costuma ocorrer por vírus e bactérias que infectam a garganta e depois passam para a garganta.

A Otite causa dor de ouvido, produção de secreção na região e febre. O tratamento da infecção deve ser feito por um médico, que normalmente orienta o uso de analgésicos ou até mesmo antibióticos, no caso de infecções bacterianas.

Rinite Alérgica

A Rinite Alérgica é uma alergia respiratória que afeta cerca de 40 milhões de brasileiros, e costuma aparecer principalmente no inverno, devido a uma inflamação da mucosa que reveste o nariz. Os sintomas mais comuns da rinite alérgica são: espirros, coriza e coceira no nariz, que duram alguns minutos ou até vários dias.

Os fatores que desencadeiam a alergia variam de pessoa para pessoa, mas normalmente são: pólen de plantas, ácaro, poeira, pelos de animais etc. Mas, os sintomas podem ser controlados com tratamentos que utilizam anti-histamínicos e corticoides nasais. É muito importante também identificar e evitar o contato com as substâncias que atuam como gatilhos para as alergias.

Sinusite

Similar à rinite, a Sinusite por sua vez consiste na inflamação da mucosa dos seios da face, que são estruturas que ficam ao redor do nariz. É bem comum que pacientes com rinite alérgica tenham maior tendência a desenvolver também a sinusite, principalmente no inverno.

Esta infecção é causada pelos vírus da gripe ou dos resfriados e por alergias. Raramente é ocasionada por bactérias, mas pode acontecer. Assim como na rinite, o tratamento orientado pelo médico costuma se basear no uso de anti-histamínicos, anti-inflamatórios, descongestionantes e lavagem nasal com solução salina. Antibióticos só são indicados quando há suspeita de infecção por bactérias.

Pneumonia

A Pneumonia também é muito comum no inverno e acontece quando a inflamação e a infecção das vias respiratórias, geralmente causadas por bactérias, vírus ou fungos, atingem os pulmões. Os sintomas da pneumonia incluem: tosse com catarro amarelo ou esverdeado, febre de cerca de 38ºC ou mais e calafrios. Caso a infecção esteja em um estágio mais grave, também pode causar falta de ar, dificuldade para respirar e respiração ofegante.

Ao suspeitar que os sintomas sentidos indicam uma pneumonia, o primeiro passo é procurar ajuda especializada, pois somente um médico pode orientar sobre a melhor forma de tratamento, que geralmente é definida quando diagnosticados os fatores que causaram a pneumonia.

Aproveite o resto do inverno com saúde!

Sim, é possível se proteger e evitar estas doenças, que aproveitam o inverno para se instalarem, prejudicando os nossos planos e dia a dia. Algumas medidas preventivas incluem:

  • Mesmo no frio, evitar ao máximo locais fechados e com excesso de pessoas;
  • Ventilar e arejar os ambientes que você passa mais tempo;
  • Sempre lavar com água e sabão ou higienizar com álcool as mãos várias vezes ao dia, principalmente após estar em locais públicos, antes das refeições e após usar o banheiro;
  • Evitar o contato próximo com pessoas com gripes, resfriados e outras doenças contagiosas;
  • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, preferencialmente com lenço de papel descartável;
  • Alimentar-se de forma saudável, com refeições que incluam frutas e verduras, pois são alimentos ricos em antioxidantes e minerais que ajudam a fortalecer o sistema imunológico;
  • E não é porque a temperatura está mais fria que a hidratação deve ser esquecida. Beba cerca de dois litros de água por dia.

Vacinação

Você sabia que existem vacinas que podem prevenir a maior parte dessas doenças?

A vacina anual da gripe, por exemplo, previne contra os principais vírus influenza. O ideal é que a imunização seja feita antes do inverno, mas nunca é tarde. Esta vacinação é especialmente importante para pessoas mais vulneráveis ao desenvolvimento de quadros mais graves de gripe e pneumonia viral como: idosos, crianças, gestantes, diabéticos e portadores de doenças pulmonares, cardíacas ou autoimunes.

Há também vacinas que protegem cerca de 70% das doenças graves (pneumonia, meningite e otite), causadas pelos diversos tipos de sorotipos de pneumococos. São elas: VPC10 (Vacina Pneumocócica Conjugada 10-Valente), VPC13 (Vacina Pneumocócica Conjugada 13-Valente) e a VPP23 (Vacina Pneumocócica Polissacarídica 23-Valente).

DICA da TAVE

Além de todas as dicas de prevenção que demos ao longo deste ARTIGO, ainda tem mais uma e talvez a informação mais importante seja esta: um sistema imunológico forte combate qualquer doença!

Ele é a nossa primeira linha de defesa contra organismos invasores, e executa a importante tarefa de proteger o nosso organismo. Manter um estilo de vida saudável ajuda a fortalecer o sistema imune, mas também há outras formas completares que podem auxiliar nesta tarefa, como a suplementação.

O Betamune SC, por exemplo, é uma imunomodulação com complexo β-glucana que atua como um poderoso agente promotor do sistema imunológico e como um protetor do organismo contra as toxinas, bactérias, vírus e alergénos, que normalmente são os causadores das principais doenças tratadas.

Esta imunomodulação age estimulando a ativação de células de defesa e a atividade dos fagócitos, potencializando também a síntese de interleucina e inibindo o crescimento de células tumorais in vivo e a expressão de genes ligados às células cancerosas da mama.

O resulta é que o Betamune SC reduz a chance do aparecimento de infecções, apresentando também a função cutânea cicatrizante, ativando assim, o sistema imunológico para desempenhar seu papel de defesa, quando em contato com agentes infeccioso.

Muitas informações importantes, não é? Compartilhe com outros amigos e conscientize-os também sobre as doenças do inverno e as formas de preveni-las! Ah, e não se esqueça: adquira seu Betamune SC na TAVE!

Anelise Taleb

Farmacêutica e Bioquímica

Referências

6 problemas de saúde comuns no tempo frio e como evitá-los

https://www.capesesp.com.br/doencas-do-inverno

7 principais doenças que acontecem no inverno (e como evitar)

https://www.tuasaude.com/doencas-comuns-do-inverno/

9 respostas sobre rinite alérgica

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/imprensa/noticias/Paginas/9-respostas-sobre-rinite-al%C3%A9rgica.aspx

Vacinas Pneumocócicas Conjugadas

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacinas-pneumococicas-conjugadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *